O processo Gueiros

Na coluna que mantém no blog da sua esposa, Mônica, Hélio Gueiros Filho informa que foi transferida – do dia 4 para o próximo dia 14 – a audiência para o depoimento do seu filho, Hélio Gueiros Neto, acusado de feminício, por matar a esposa, Renata Cardim, segundo denúncia do Ministério Público do Estado.

O ex-vice-governador alega que, com o sigilo judicial, a defesa do filho é prejudicada, por não poder tornar públicas provas da sua inocência. E acusa o grupo Liberal de perseguir o neto do ex-governador Hélio Gueiros.

Segue-se o texto, que poderia levar a defesa de Renata Cardim a se manifestar. O espaço está disponível.

A fonte fidedigna, que me informou sobre a armação do grupo Petit Versailles – antigo Liberal – em conjunto com a senhora Socorro Cardim, que foi acusada de matar o marido pela polícia e pelo tio da Renata, Paulo de Lima, para descontruir a imagem de meu filho junto à opinião pública, parece ter acertado na mosca.

Como a fonte me advertira, saiu a senhora Socorro (a imprensa jamais informou ao público sobre as acusações que pairam sobre essa senhora) – sem condições morais para atacar quem quer que seja – entrou sua filha, mas o script é rigorosamente o mesmo durante todos esses anos.

Na manhã do dia 5 de dezembro, mesmo conhecedor que a audiência do meu filho fora adiada, o Grupo Petit Versailles – antigo Liberal – determinou às suas surucucus repórteres que destilassem todo seu veneno, mentiras e engodos, que não podem ser refutados pelo subterfúgio do processo continuar em segredo de justiça.

Filmou uma pretensa demonstração de indignação, que mais parecia um desfile de Blocos de Sujos, devido aos sorrisos e trejeitos dos irmãos da Renata. Não foi a primeira vez que o Petit Versailles – antigo Liberal – mente descaradamente em suas reportagens. No carnaval passado, afirmou que o meu filho foi preso e permaneceria preso durante o tríduo momesco. Deslavada mentira.

Um processo que fica escondido nos escaninhos da Justiça há pelo menos 3 anos, sem que sejam revelados os depoimentos do médico legista, doutor Rainero Maroja, os depoimentos dos médicos legistas da exumação, nem mesmo o ridículo depoimento do assistente de acusação, o médico do caso Habib’s, não deveria poder existir, mas existe. Esses depoimentos estão em vídeo à disposição de todo mundo, mas são escondidos. Qual o réu que clamaria pela postagem e divulgação dos vídeos, se culpado fosse? Por que não liberam?

A grupo Petit Versailles – antigo Liberal – que não possui qualquer compromisso com a verdade (a Rede Globo, para manter seu bom nome na praça, deveria mandar fazer uma auditoria na sua afiliada) – e o nobre promotor José Maria, conhecedores do teor dos depoimentos prestados, desistiram da absurda acusação de feminicídio e resolveram mudar o foco para a não menos absurda acusação de agressão. Não sabem onde se fixar, pois mentem, deslavadamente, mentem.

A audiência foi suspensa no dia 04 para que as partes se manifestassem em 10 dias sobre questões processuais. Dois dias depois houve o arrependimento, o direito do réu retirado e a audiência remarcada para o dia 14, uma sexta-feira, às 10 horas, quando, com toda certeza, o grupo Petit Versailles – antigo Liberal – estará, mais uma vez, através de suas surucucus repórteres, destilando mentiras, mil mentiras, para, como ensinou o nazista Hermann Göring, a mentira se tornar verdade.

Se o grupo Petit Versailles – antigo Liberal – corre apenas atrás dos números do Ibope, sugiro entrevistar o filho do governador ou aquele ente da sua própria da família, que, bêbado, matou duas pessoas, ambas as histórias verdadeiras e que permanecem silenciosas e escondidas das bocas das surucucus repórteres. Aqueles sim, gozando do privilégio da impunidade. Seriam histórias reais e sensacionalistas, o grupo Petit Versailles – antigo Liberal – não deveria perder essa oportunidade.


Print   Email