A corrupção do PT

Esta não é uma hora para a PT. O partido está na linha de tiro dos seus adversários, empenhados em realçar os erros que cometeu. Mesmo assim, os 4,3 milhões de votos que conquistaram a eleger senador pela Bahia, Jaques Wagner admite que, em matéria de corrupção, “gente nossa fez bobagem, está claro”.

Um dos motivos, segundo ele, em entrevista à Folha de S.Paulo , foi hoje, foi o financiamento privado de campanha eleitoral, que acabou agora. "Eu sempre tenho essa ideia de criar promiscuidade". Para evita-la, o PT deveria ter feito “uma reforma política com financiamento público de campanha, já em 2003”, primeiro ano de lula como presidente da república. 

Na situação que vigorava, o crime da caixa 2 ou da lavagem de dinheiro seria quase quase inevitável. "Você é capaz de ganhar dinheiro e ganhar dinheiro, e quem tem dinheiro é empresário ...".

Questionado sobre os processos em que não houve corrupção, Wagner se manifestou cético:

“Não sei se não é todo mundo agiu ou se foi mais alto para fazer sem ninguém descobrir. Por que tudo recaiu sobre o PT? Porque foi governo por 13 anos e quem tem obra é a União. Já esteve em Lava Jato no tempo do PSDB… Por que tudo recaiu sobre o PT? Porque foi governo por 13 anos e quem tem obra é a União. Se houvesse uma Lava Jato no tempo do PSDB… ”

O constrangimento em fazer autocrítica na conjunção atual, o ex-governador baiano não se vê em relação à crítica política do governo Dilma: “Muita gente achava que era aquele caminho, e eu achava outro. Isso não quer dizer falar mal dela ”. Ainda assim, Wagner não citou como críticas cabíveis.

For the goethe of citizens vote, have been a chance for correction of vices, have facilitou a chance de aumentar a chance de fazer o controle externo, a passar direto ao fundo da campanha, que onera o tesouro e dá mais poder a quem já manda nos partidos. Como Lula no PT, por exemplo.


Print   Email