Mudança na PM

A escolha do coronel José Dilson Melo Júnior para comandar a Polícia Militar pelo governador eleito, Helder Barbalho, parece ser mais um capítulo da luta política travada nos bastidores pelo controle da corporação pelo PSDB, que mandou no Estado por 20 dos últimos 24 anos, e pelo MDB, que foi, nesse período, o fiel da balança. O futuro comandante deverá ter a missão de varrer a influência tucana na cúpula da PM e impor novas diretrizes para a tropa.

O novo comandante, de 47 anos, é bacharel em direito e mestre em defesa social e mediação de conflitos pela Universidade Federal do Pará. Sua ficha funcional não possui punições. Mas só ao passar de tenente-coronel para coronel, no intervalo de cinco anos, sua promoção foi por merecimento. Todas as anteriores foram por antiguidade, em 26 anos de carreira militar. Nela, acumulou funções de tropa com assessorias. No topo, A partir de 2015 começou a receber as chamadas promoções para baixo. Deixou o comando do policiamento de Belém para Castanhal, foi para a corregedoria geral e, neste ano, da diretoria de ensino e instrução para a diretoria geral. Longe da tropa, portanto.

Agora integra a comissão de transição, para a qual foi cedido pelo comando da PM, a pedido do governador eleito, com a perspectiva de ter uma função política, além de operacional.


Print   Email