Sem ferrovia

Não interessa ao centro dominante do país iniciar uma política oficial de investimentos para ampliar a rede de ferrovias na Amazônia que não sejam de domínio privado ou exclusivas para drenar recursos naturais para a exportação, como é a ferrovia de Carajás. É este o significado real da obstrução que alguns dos principais partidos na Câmara Federal adotaram ontem. Com isso, extinguiram a Medida Provisória 845/18, que criava o Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário.

A intenção do governo federal era incrementar investimentos no setor, principalmente na Amazônia, com ênfase na extensão da ferrovia Norte-Sul até Barcarena, no Pará. Com essa abertura, reduziria custos de transportes, de emissão de poluentes e do número de acidentes em rodovias. Como não foi votada no último prazo da sua validade, a MP morreu.


Print   Email