A PM errou?

A Polícia Militar considerou bem sucedida a operação que realizou, no dia 23 em dois bairros de Icoaraci. Por terra e água, com apoio aéreo, atacou um grupo de traficantes de drogas que operava na área, pondo em fuga alguns, baleando dois e matando um, mas que os integrantes do grupo policial não reconheceram como sua vítima.

Os moradores do Paracuri, o mais visado pela ação, sustentam que os 12 homens que circulavam de canoa pelo igarapé eram extratores de barro e não traficantes. O morto, Osmair Pereira Monteiro, de 42 anos, recebeu dois tiros na cabeça quando tentava salvar Danilo Guimarães, de 18 anos, que foi baleado, caiu na água e estava se afogando, por não saber nadar. Dos quatro homens que estavam na canoa, três receberam tiros. Só um escapou ileso.

Desta vez, a comunidade não se limitou a enterrar o morto, lamentar os feridos e manifestar sua indignação. Com um abaixo-assinado, que está correndo entre os moradores, pretende mostrar que a suposta quadrilha de traficantes é, na verdade, composta por “barreirros”, pessoas que extraem o barro das margens do curso d’água e o fornecem às olarias locais. A cerâmica é a principal atividade econômica da área. A polícia estaria caçando gente trabalhadora e não criminosos.

Se eles estão certos, como parecem estar, é indispensável não só reconstituir a verdade na intervenção da PM e punir os que cometeram a violência como investigar o que pode ter sido um erro crasso de inteligência, se não foi um deliberado abuso de autoridade. Pode não ter sido apenas um acidente num caso isolado. Pode ter sido o mais grave erro dentre vários cometidos pela força policial em Belém. Grave e alarmante.


Print   Email