Cavalo Rastreado

Rate this item
(0 votes)

Criadores, proprietários e entidades ligadas ao setor de cavalos no Brasil estão se rendendo à identificação hightech de seus animais, e, se depender do sucesso que o chip vem fazendo, as tradicionais resenhas, carteiras de vacinas e cadernetas de campo tendem a desaparecer. Todo este material cabe, agora, num chip do tamanho de um grão de arroz. Método imparcial de identificação do animal, o microchip é um transponder constituído de um código exclusivo e inalterável, gravado a laser, encapsulado em vidro cirúrgico, microrrevestido em capa de polipropileno biocompatível e anti-migratório. Utiliza a tecnologia de código de barras. Quando escaneado, o transponder envia o número de identificação como um sinal de rádio de volta ao escanner que o decodifica e mostra os dados numa pequena tela similar à de uma calculadora. Além dos dados como nome, idade, sexo, pelagem e marcas próprias do cavalo, alguns chips já permitem a inclusão da ficha clínica, raio X, ultrassom, vacinas, etc.

Como o circuito eletrônico do transponder é energizado apenas quando ele recebe uma frequência de rádio de baixa potência enviada por um aparelho de leitura compatível, sua durabilidade é para toda a vida do animal.

 

 

Last modified on Wednesday, 17 October 2018 14:11

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.